Como gerenciar uma fazenda

Como gerenciar uma fazenda

Trabalhar com pecuária, pode ser um negócio bastante rentável, principalmente nos períodos de alto consumo. Este tipo de criação envolve muito esforço, e tarefas das quais nenhum gerente responsável pode ignorar.
Primeira coisa que precisamos entender é que não se cuida mais de um rebanho como se fazia antigamente, deixando os animais no pasto por um período e ficar esperando até que os resultados venham, não para quem quer resultados satisfatórios.

O atual mercado demanda produtos de qualidade, preços competitivos, impactos ambientais reduzidos, sem contar que tem maior fiscalização por parte dos órgãos responsáveis, aumento da competição por terra para outros fins agrícolas e imposição de barreiras sanitárias e não sanitárias aos produtos da pecuária brasileira.

Tudo isso tem pressionado a nossa pecuária a se organizar melhor e consequentemente mais dedicação por parte dos empreendedores.

Apesar dos avanços tecnológicos que podemos observar no setor produtivo como um todo e a melhora no desempenho, esse crescimento da pecuária não tem sido uniforme, visto que vários pecuaristas ainda hoje enfrentam dificuldades no manejo das pastagens, na nutrição animal, no controle de endo e ectoparasitas, no melhoramento genético do rebanho ou na comercialização do gado. O que chama a atenção é que existem diversas soluções tecnológicas já disponíveis para atender essas e outras demandas da cadeia produtiva. Muitas vezes elas não são colocadas em prática porque a gestão da propriedade não dá o suporte necessário à tomada de decisão. Muitas fazendas pecam por não terem o nível de controle adequado dos seus recursos, por não apresentarem um planejamento de longo prazo ou conduzirem análises essenciais para o direcionamento do negócio pecuário. O resultado é a desinformação, e com ela, o desempenho insatisfatório.

Para superar essa dificuldade, é preciso que o pecuarista passe a ver a fazenda como uma empresa e a entenda melhor do ponto de vista administrativo. Dessa forma, será possível determinar com maior eficiência quais das tecnologias disponíveis se aplicam à sua propriedade e garantem melhor retorno ao investimento. Na prática, algumas condições devem ser observadas:

1. Habilidade gerencial:

é a aptidão, natural ou adquirida, do pecuarista para gerenciar o empreendimento rural. A habilidade gerencial envolve fatores como inteligência, intuição, capacidade adaptativa, noções de matemática, percepção espacial (ex. estimação visual da disponibilidade de forragem), relações interpessoais, senso crítico, capacidade analítica entre outros.

Alguns produtores têm mais habilidade gerencial do que outros. No caso daqueles que têm pouca habilidade, a busca por capacitação é uma saída. Para aqueles que não têm o perfil (ou gosto) para administrar o próprio negócio, algumas alternativas são a capacitação de alguém da família ou de um funcionário com perfil para o trabalho gerencial ou ainda a contratação dos serviços de consultoria especializada em gestão.

2. Práticas de rotina em gestão:

para se estabelecer práticas adequadas de gestão é necessário, antes de tudo, conhecer a propriedade rural a fundo, isto é, mapear o patrimônio global da fazenda (benfeitorias, máquinas, equipamentos, área total e sua ocupação, todas as categorias animais, investimentos financeiros etc.). Os dados gerados no dia-a-dia, como por exemplo, as compras de insumos ou as ocorrências zootécnicas, também devem ser coletados e armazenados.

A partir desse mapeamento, indicadores de desempenho podem ser definidos, acompanhados, analisados e redimensionados, se for o caso. Esse processo constitui a essência da gestão, pois o processamento dos dados gera informações relevantes à tomada de decisão, permitindo a otimização no uso dos recursos. Por meio da análise continuada e comparativa das informações, a habilidade gerencial do pecuarista tende a aumentar, pois ele/ela aprende com experiências passadas e aprimorar seu entendimento global das inter-relações dos sistemas biológicos, climáticos, mercadológicos etc.

3. Ferramentas de gestão Pecuária:

Existem diversas ferramentas, tanto as mais tradicionais (ex. papel, caneta e calculadora) quanto modernas (softwares), que dão suporte na gestão de propriedades rurais. As ferramentas de controle permitem o acompanhamento dos índices zootécnicos, da performance financeira, do desempenho da mão-de-obra ou do maquinário entre outros indicadores.

4. Plano tecnológico para fazenda:

outro fator essencial para a gestão da propriedade rural é a definição do plano tecnológico. Partindo dos objetivos pessoais e empresariais do pecuarista, e ainda considerando os recursos disponíveis, define-se em termos gerais o nível tecnológico em que se pretende operar: baixo, médio ou alto.
Outros fatores que têm ganhado cada vez mais destaque na adoção de novas tecnologias e devem ser observados pelos pecuaristas são o impacto ambiental potencial e o efeito nas condições de trabalho dos empregados (aspecto social).

Como Cuidar do rebanho

Nota: Os passos abaixo tem como objetivo apresentar os vários aspectos que devem ser observados ao iniciar seu negócio pecuário. As etapas a seguir não estão listadas em ordem de execução, todas elas são importantes, independentemente de sua ordem.

Passos para cuidar do rebanho:

Mantenha registros e informações acerca de sua criação. Isto significa ter o controle dos dados de saúde, reprodução, parto, abate, desmame, etc, bem como seus registros de compra e venda, e outros gastos. Através da utilização de formulários, planilhas ou programas de dados de computador, você poderá armazenar registros diversos, como suas compras de equipamentos, máquinas, alimentação, feno, reparos, fornecimento de energia, etc. Tudo o que você gerencia em sua propriedade deve ser registrado, geralmente, no mesmo dia em que o evento ocorre para evitar quaisquer esquecimentos.

Suas finanças representam muito e são importantes para o bom funcionamento de seu empreendimento. Elas determinam o sucesso de suas operações, ou seja, se você está realmente ganhando dinheiro ou não. Compreender seu fluxo de caixa sempre pode ajudar no planejamento e preparação para o futuro.

Lembre-se também que não é só porque você tem diversas informações sobre sua criação, que ela será rentável. As informações devem lhe servir para tomar decisões: serão suas decisões que poderão melhorar o seu negócio (e não pura e simplesmente toneladas de anotações acerca de tudo o que acontece)

Manter o ambiente em boas condições:

Conserte e mantenha a integridade de suas instalações pecuárias, ambientes em bom estado de conservação e organização são mais produtivos. As construções normalmente requerem muito menos atenção do que as cercas, mas sempre que houver algo quebrado, conserte. Por isso, verifique regularmente as cercas e demais construções de sua propriedade.

Lembre-se de remover as árvores que podem ter caído sobre a linha da cerca. Também é altamente recomendável que você corrija qualquer cercamento que tenha sido danificado pelo gado (muitas vezes um animal pode tentar “pular a cerca” para um pasto vizinho ou uma fazenda vizinha).

Conserte e mantenha a integridade do seu maquinário. Faça a manutenção de todo o maquinário da fazenda, desde as máquinas que auxiliam na produção direta da fazenda, como a compactação de feno, silagem e/ou produção de grãos, até as máquinas que indiretamente contribuem para o bom funcionamento de seu negócio, como os veículos automotivos da fazenda. Recomenda-se que as máquinas sejam verificada regularmente, mesmo durante os períodos em que não estão sendo utilizadas.

Cuide de sua pastagem. Cuide de seu solo e de sua vegetação de pastagem, pois ela e a topografia de sua região podem ditar como você precisa gerenciar suas terras. Preste atenção na qualidade do campo, em sua capacidade de uso, períodos de descanso e recuperação do impacto animal, etc.

Tome nota de qualquer habitat de animais selvagens ou sinais de vida selvagem que podem aparecer em sua fazenda. Algumas espécies de animais selvagens podem ser raros ou ameaçados de extinção, além de presentes apenas em sua região. Você, portanto, deve tomar o devido cuidado para que sua criação não atrapalhe a vida natural destes animais.

Conheça e contribua com organizações de conservação da vida selvagem local de sua região. Esta é uma das formas de você consolidar um negócio que além de rentável, seja ambientalmente responsável.

Esteja ciente dos vários tipos de práticas e de cuidados com suas pastagens. Gerencie o campo de acordo com suas metas e objetivos de negócio, respeitando sempre a vegetação, o solo e a topografia. Procure cursos on-line ou locais para aprender acerca do assunto ao longo do tempo, de modo que você possa se beneficiar com as informações mais atualizadas sobre o tema.

Gerencie a nutrição de seu gado. Alimente sua criação com suficiência. A alimentação é a parte mais importante e provavelmente também a mais desafiadora no processo de criação de gado. Isso ocorre porque há uma grande variedade de métodos, alimentos, tipos de ração e alternativas de alimentação que vão desde o confinamento de gado até a alimentação exclusiva de pasto, até uma mistura de dois ou mais métodos, de acordo com o tipo de rebanho. Além de tudo isso, há alimentações formuladas para diferentes tipos de rebanho e suas finalidades.

Gerencie suas plantações. É muito importante saber o momento certo de plantar e colher em sua fazenda (bem como todos os cuidados necessários para um bom tratamento de sua plantação). Isto se torna particularmente importante, quando ela pode servir para alimentar seu rebanho.

Mantenha-se atualizado com relação às vacinas e vermífugos de seu rebanho. Diferentes regiões podem apresentar diferentes necessidades de vacinação, portanto, é melhor verificar com seu veterinário ou sua associação de confiança quais são as escolhas e necessidades para a região da sua fazenda.

Prepare-se para gerenciar sua criação na estação de reprodução. Dependendo da época do ano, você deve estar preparado para a estação de reprodução. Mantenha-se atento às vacas que podem estar prontas para parir, e tenha as ferramentas necessárias para ajudar com as dificuldades do parto.

Cuide das vacas e bezerros no pós-parto. Você terá que ficar atento com relação aos bezerros jovens, em busca de sinais de doenças.

Prepare-se para gerenciar e estação de “monta” (fertilização/reprodução). Seus touros devem ter o sêmen devidamente testado,

Atente-se à estação de parto das novilhas, pois ela tende a começar bem antes do resto do rebanho de vacas.
Normalmente um touro maduro e saudável pode lidar com 30 a 40 vacas, especialmente se eles estão mais espalhados pelo pasto. Um touro será capaz de fertilizar mais de 50 vacas, se eles estiverem em um pasto menor. Touros mais jovens, no entanto, conseguem cobrir menos vacas no mesmo período.
Nem todas as fazendas usam o método “natural de reprodução”. A inseminação artificial está ganhando terreno em diversas criações, portanto, também pode ser utilizada por você caso ache necessário.

Gerencie suas operações de corte. Alguns sítios, além da criação tradicional também operam abatedouros. Se você optar por ter um negócio neste mesmo formato, você precisará comprar ração extra e tratar sua criação visando seu objetivo final: um gado que produzirá carne saudável. Para este novo negócio, você vai precisar cuidar de sua criação de uma maneira diferente do que você faria naturalmente.

A fim de tocar uma criação com um abatedouro, você precisa se lembrar de que está gerenciando o ganho de peso diário de sua criação com fins muito específicos: considere a manutenção de uma boa nutrição e procure auxílio técnico de seu veterinário de confiança.

Prepare novilhas de reposição. Suas vacas não vão poder viver produtivas para sempre. Elas precisam ser abatidas, ou eventualmente, vão morrer. Por conta disto existe a necessidade de você preparar novilhas saudáveis para a criação: elas precisam ser selecionadas segundo várias características, incluindo sua habilidade materna, crescimento, facilidade no parto e produtividade de leite.

Você deve tentar gerenciar o trato de suas novilhas de reposição, como você faz – naturalmente – com o rebanho de vacas. Não se esqueça de considerar também seus períodos de reprodução.
Se você é gerenciar uma criação de animais de raça pura, você também pode precisar separar as novilhas que planejar vender, conforme for cuidando de todas. Não é incomum criadores venderem novilhas de raça pura: trata-se, inclusive, de uma forma inteligente de levantar um dinheiro a mais para os custos de criação.

Tome decisões responsáveis sobre o abate de sua criação. Suas novilhas, vacas e touros podem ter de ser abatidos, simplesmente com o objetivo de remover animais indesejáveis de seu rebanho, com a intenção de melhorar a qualidade da criação. O gado também pode ser abatido por: mau temperamento, má conformação, problemas maternos (a novilha ou vaca se recusa a aceitar os bezerrinhos ou apresenta uma capacidade de ordenha indesejável), a falta de eficiência da forragem, problemas de saúde diversos, a falta de dentes, ferimentos, dentre outros problemas.

Desmame os bezerros. O desmame tradicionalmente é realizado quando o bezerro está com 6 a 8 meses de vida. Nesta idade, o animal já pode ser considerado um ruminante e tem plena condição de utilizar forragem sólida como única fonte de energia e de nutrientes de que necessita. Além do mais, a participação do leite na dieta do bezerro é pequena após o terceiro mês de lactação.

A grande questão é que a época de desmama é um período de considerável estresse para vaca e bezerro. Em grande parte dos rebanhos de cria a desmama é realizada de maneira abrupta, com a separação do par mãe / cria e concomitante manutenção das duas categorias em áreas distintas e muitas vezes afastadas.

Venda o excesso de gado. Isso inclui os animais que precisam ser abatidos, os bezerros desmamados, novilhas e novilhos que tenham terminado a fase de crescimento, ou gado que deve ser vendido para o matadouro. Você deve decidir se deseja vender seu gado através de um preço fixo (por peso ou unidade), ou por leilão.

Gerencie seu rebanho de vacas. Separe o seu gado com base em sua condição corporal, exigências nutritivas e idade. Vacas magras devem ser separadas e colocadas juntamente com novilhas de reposição, porque esses dois tipos de bovinos precisam do mesmo tipo de ração. Vacas gordas e as vacas de condição corporal acima do normal podem ser mantidas juntos em uma dieta de perda de peso. Touros e bois podem ser colocados juntos também, de acordo com sua necessidade.

Vacas prenhes que estão em uma condição corporal normal ou acima da média devem ser alimentadas para manter ou levemente aumentar seu peso, enquanto estejam pelo processo de prenhez.

Gerencie seu rebanho de touros. Tal como com as vacas, os touros também precisam estar em boas condições e bom estado de saúde: afinal de contas, eles devem estar prontos para a próxima temporada de reprodução.

Lide com as perdas. Como mencionado anteriormente, sua criação não vai viver para sempre. Haverá casos em que as vacas, bezerros, touros, novilhos e novilhas de sua criação podem morrer, e é de sua responsabilidade descartá-los corretamente de acordo com as leis locais.

Gestão é um processo cíclico, portanto faça tudo isto de novo, no ano seguinte. No entanto, nada é da mesma forma de ano para ano. Como os agricultores, pecuaristas estão sempre trabalhando de acordo com as mudanças no ambiente e no clima.  E estes são apenas alguns dos fatores que não podem ser controlados por você, em sua criação. Partos, reprodução, inseminação, apartamento do gado, são todas atitudes que dependem de você como gerente da criação.

Se possível, faça um plano de negócios. O plano de negócio é um documento que descreve os objetivos de um negócio e os passos que devem ser dados para que esses objetivos sejam alcançados, diminuindo os riscos e as incertezas. Mas não precisa ser algo muito minucioso e detalhista ao ponto que deixe de ser prático. Tem que ser algo que no mínimo mostre se ainda está caminhando no rumo que programou.

Todo pecuarista, à seu modo, faz gestão. Porém, quando se tem um entendimento, pelo menos básico, dos fatores acima mencionados é possível organizar melhor o processo gerencial na propriedade rural. Como o próprio nome diz, gerenciamento é um processo contínuo e como tal deve estar sempre evoluindo para atender as necessidades específicas de cada pecuarista individualmente.
Atualmente, existem soluções gerenciais para atender às demandas, das mais básicas às mais avançadas, em gestão de propriedades rurais. Escolha uma que melhor vai atender, então é só começar a praticar.
Ah! Não se esqueça de tirar um tempo de férias para você e para sua família, de vez em quando. A mudança de cenário sempre é bom e ajudará a oxigenar  sua mente. Bons negócios!