Bezerros do cedo

Porque realizar planejamento para o bezerro nascer cedo?

Veja as vantagens de realizar planejamento para o bezerro nascer no início da estação de parição. Os ganhos (de manejo, nutricional e financeiro) serão expressivos.

Na bovinocultura de corte espera-se que as matrizes produzam um bezerro por ano, desse modo, a vaca deve gerar e parir o bezerro e, principalmente desmama-lo pesado. No entanto, além de produzir um bezerro por ano, é de suma importância se dê uma grande atenção para a qualidade deste bezerro. O uso da inseminação artificial aliada ao uso de genética de ponta além das técnicas de manejo são estratégias utilizadas que visam gerar um bezerro por ano e com qualidade superior.

Neste sentido, a época de nascimento do bezerro é vital para o seu desenvolvimento. Animais que nascem primeiro na estação de parição (chamados bezerros “do cedo”) apresentam melhor desempenho que os nascidos ao final da estação de parição (bezerro do tarde). O principal motivo desta maior produtividade está relacionado essencialmente com a relação época de parição/qualidade de forragem. Bezerros do cedo nascem em julho/agosto/setembro, assim, nos primeiros meses de vida, esse bezerro tem a garantia de uma maior quantidade e qualidade do leite, isto ocorre devido ao fato das matrizes receberem uma oferta de forragem de melhor qualidade neste período, além disso, o pico de lactação destas vacas ocorrerá exatamente na época de melhores pastagens.

Realizar planejamento objetivando maiores nascimentos no início da estação de parição trará benefícios relacionados com o manejo sanitário do bezerro. Bezerros “do cedo” nascem quando a incidência de chuvas ainda não é grande, portanto, a umidade ambiental é reduzida, impedindo a proliferação de bactérias e fungos. Assim o manejo destes animais (cura do umbigo) é facilitado. Outra vantagem do bezerro nascer cedo está ligada ao fato da temperatura externa ser, nesta época, semelhante à temperatura do útero, garantindo um estresse ambiental menos intenso para o bezerro ao nascimento.

As vantagens apresentadas garantirão ao bezerro um período inicial de vida mais propício, além de um peso a desmama mais elevado. Como consequência deste manejo, esperasse que a proporção de machos terminados aos 24 meses seja maior. Também se espera que bezerras nascidas no início da estação de parição se tornem novilhas que venham a ciclar logo no início da estação de monta, exatamente aos 24 meses, enquanto as que nascerão ao final da estação estarão com 20 e 21 meses (se a estação de parição for de 3 meses).

Como desvantagem, observa-se que o peso do bezerro ao nascer não é muito elevado, visto que ele precisa dividir com a mãe os recursos nutricionais que serão mais escassos ao final do inverno. Porém, tal desvantagem pode ser contornada após o nascimento por meio da oferta de uma melhor forragem para a mãe e para o bezerro, além da maior qualidade e quantidade do leite oferecida pela mãe.

Vale ressaltar que, para atingir essa eficiência reprodutiva é muito importante que seja realizada uma pressão de seleção eficiente. Se a vaca é muito boa visualmente, foi inseminada e apresentada ao touro, e mesmo assim não reproduziu, ela deve ser descartada garantindo maior eficiência ao sistema.

Portanto, conclui-se que um planejamento reprodutivo eficiente, aliado com bom manejo nutricional e sanitário, além do uso de uma genética provada garantirão bezerros nascidos mais cedo e por consequência, maior produtividade para todo o sistema.

Matéria oferecida por:

Diego Augusto Campos da Cruz – Zootecnista (FZEA/USP) -Mestre em Produção Animal Sustentável (Instituto de Zootecnia). Especialista na produção de conteúdos técnicos para o Agronegócio.
Contatos: (14) 98110 7998  -E-mail: diegoaugustocruz@gmail.com