A RAÇA WAGYU

O QUE É A RAÇA WAGYU?download-pdf_2

Wagyu (lê-se ‘uaguiú”) é uma raça bovina originária do Japão. É considerada a carne bovina mais saborosa e mais cara do mundo.A carne, conhecida como “kobe beef” –uma referência à cidade japonesa de Kobe, de onde o gado se origina.

A justificativa para o alto preço está no fato de a raça wagyu produzir carne com muita gordura entre as fibras, o que, segundo especialistas, a torna saborosa e macia. Por essa razão, ela é quase sempre servida apenas levemente grelhada e com pouco sal; nada de molhos ou temperos fortes, para não haver interferências no gosto.

A carne é classificada de acordo com seu grau de marmoreio, ou seja, a quantidade de gordura entremeada. Quanto maior a quantidade de gordura, maior o número que ela recebe.

HISTÓRIA DA RAÇA WAGYU

O gado Bovino foi introduzido no Japão a partir da Ásia, através da península Coreana, por volta do século II com o objetivo de fornecer Tração para o cultivo de arroz. Os primeiros bovinos foram importados para a região de Shikoku. Devido à dificuldade de viagem no terreno montanhoso da região, a posterior migração do gado foi lenta e restrita. O gado tendia a ficar isolado em áreas pequenas e cada área tinha essencialmente urna população fechada.

O rebanho bovino no Japão ficou oficialmente fechado por mais de 200 anos por meio de um mandato de um shogun que durou de 1635 até 1854. Com a “Restauração Meiji”, em 1868, o governo encorajou a importação de outras raças Européias para a cruza. Cada uma das várias regiões onde se criava gado, preferiam raças distintas, de modo que a variedade regional tornou-se enorme. Em 1910, constatou-se que o cruzamento não havia sido benéfico e, mais uma vez, o rebanho nacional seria fechado para o cruzamento.

Devido aos impedimentos geográficos para se viajar e, às divergências de opinião a respeito da seleção e criação, o gado de uma região tornou-se totalmente diferente do gado de outras regiões.

As duas principais regiões onde o Black Wagyu se desenvolveu são Tottori e Tajima. O Gado em Tajima (atualmente denominada “Hyogo Prefecture”) foi selecionado devido aos seus pesados quartos dianteiros. já que foi inicialmente utilizado à frente de pesados carros de Boi de madeira. O gado dessa região tende a se menor em estatura do que o gado de Tottori, sendo também, de forma geral, menos musculoso, mas produz carne de excelente qualidade com ampla área de Olho de Lombo.

O gado de Tottori foi selecionado por seu tamanho e pela forca de sua “linha de dorso” já que eram utilizados como animais de carga na crescente indústria siderúrgica da região. A qualidade da carne é moderada, tendo excelente habilidade materna. Essas diferenças são perceptíveis nessas duas linhagens até os dias de hoje.

A outra raça de Wagvu, o Red Wagyu, foi inicialmente criada e desenvolvida nas ilhas de Kyushu e Kochi. Existem duas linhagens distintas de Red Wagyu (Kochi e Kumamoto). O Red Wagyu Kochi foi fortemente influenciado pela raça Korean, enquanto que o Red Wagyu de Kumamoto possui uma considerável influência Simental. Devido a essas diferenças, o Red Wagvu Kochi é menor que o Kumanoto. com uma ossatura menor e sem a compactação natural do Red Wagyu Kumamoto. O Red Wagyu Kumamoto criado em uma região com uma relativa abundância de pastagem. É o gado de corte japonês que mais se assemelha ao gado de corte americano e europeu.

Nos primeiros anos da indústria pecuária do Japão, a linhagem das fêmeas era mais importante do que a linhagem dos machos. Isso se devia ao pequeno tamanho do rebanho de cada produtor. Os produtores preferiam as vacas, a fim de maximizar o número de bezerros, que poderiam produzir anualmente, dado à limitação de animais adultos que poderiam ser acomodados. A mais famosa linhagem de vaca foi a linhagem “Tsuru-ushi”. Esta linhagem foi desenvolvida em Okayama Prefecture junto às montanhas Chugoku. Em 1941, oito linhagens de fêmeas foram estabelecidas, dando a base para as 37 linhagens de BIack Wagyu existentes hoje. As quatro melhores vacas das oito linhagens foram: Atsuta-zuru, Fuji-zuru, Yoshi-zuru e Azuma-zuru.

Com o advento da inseminação artificial, as linhagens de touros passaram a ser dominantes. A pressão para a seleção passou a ser maior no lado dos touros e a linhagem dos touros passou a ser mais importante que a linhagem das vacas. Atualmente, as três linhagens de touros mais importantes são: Doi, Nami e Manryu. Dessas três, a linhagem Doi é sem dúvida alguma a mais popular. Em algumas regiões, 70% do gado Wagyu contém Doi na sua linhagem.

Objetivo da Seleção Racial do Wagyu(Japão 1970)

1) Para buscar o aumento do rebanho de corte (especialmente Raça Wagyu) com redução de custo de produção, a seleção racial deve estar baseada e conversão alimentar.

2) Buscar animais com alto rendimento de carcaça, precocidade, carne de qualidade (marmoreio) associada à estabilidade produtiva e viabilidade econômica.

Raça Boi Gordo Confinado Ganho de Peso(Kg/dia)
Idade (Mês) Peso (Kg)
Wagyu-Black 24 620 0,8
Wagyu-Red 22 650 0,95

3) Capacidade reprodutiva: Objetivar um parto por ano associado à habilidade materna

Primeiro Parto Eficácia reprodutiva
25 meses 90%

Obs.: Eficácia Reprodutiva: Percentual de bezerros nascidos comparado ao número de vacas.

4) Morfologia: Buscar fêmeas com alto volume muscular, animais que facilitem o manejo e alimentação, evitar animais muito grandes ou gordos.

Raça Estatura Circunferência Peitoral Peso
Wagyu-Black 129cm 198cm 530kg
Wagyu-Red 132cm 200cm 600kg

Obs.: 1 – Tabela para fêmea adulta.

2 – Peso adulto para fêmeas com alimentação adequada, não válida para fêmeas próxima ao parto ou recém parida.

5) Selecionar animais fortes e saudáveis enfatizando criação com aproveitamento máximo de forrageiras, animais adequados ao pastoreio.

6) Seleção dos Reprodutores (machos destinados à reprodução) baseada nas informações de qualidade de carcaça, rendimento de carcaça, precocidade e conversão alimentar.

Raça Ganho de Peso (kg/dia) Conversão Alimentar: kg NDTnecessário para ganhar 1kg PV
Wagyu-Black 0,9 6,6kg NDT/kg Peso
Wagyu-Red 1 6,8kg NDT/kg Peso

7) Seleção intensa das fêmeas baseadas nas informações de ganho de peso, rendimento da carcaça (teste de progênie das fêmeas) e utilização de Tecnologia de Transferência de Embriões para ampliar a genética selecionada das fêmeas.

8) Intensificar o uso dos touros aprovados e intensificar o controle e seleção das fêmeas, buscando seleção e padronização.

A raça Wagyu no Brasil

Introduzida no Brasil nos anos 90, os criatórios hoje em dia se estendem desde o Mato Grosso até o Rio Grande do Sul. Para se ter uma ideia do avanço do crescimento da raça no país, segundo dados da ASBIA, em 2010 foram comercializadas cerca de 6.600 doses de sêmen de Wagyu e em 2012 fechou-se um número próximo a 32.000 unidades. Atualmente, o rebanho de animais PO conta com quase 5.000 exemplares e o rebanho de animais cruzados (1/2 sangue; 3/4 sangue; 7/8 sangue, 15/16 sangue; etc.) ultrapassa 30.000 cabeças.

Há duas variedades na raça: a Black, mais comumente vista, e a Brown. O que diferencia uma da outra além da cor, é que a primeira tem uma genética mais voltada para o marmoreio e a segunda imprime um maior tamanho de carcaça. Os cruzamentos com fêmeas Nelore ou ½ sangue Nelore X Angus tem apresentado ótimos resultados, sendo pagos valores até 40% acima do índice Esalq- Cepea para bezerros desmamados, dependendo do desenvolvimento do animal.

Características zootécnicas da raça Wagyu

O Wagyu é uma raça produtora de carne nobre com extremo marmoreio, de tamanho mediano, com chifres e com pelagem preta e vermelha. Possui precocidade sexual, habilidade materna, facilidade de parto e longevidade. Não observa-se definição muscular. Tem como característica desclassificatória manchas brancas em qualquer parte do corpo.

Os machos são desmamados aos 8 meses com peso médio de 240 kg e as fêmeas atingem 220 kg.

Possuem alto poder de heterose, rusticidade e temperamento dócil.

Adaptou-se nas diversas regiões do país como BA, MG, MT, MS, SP, RS, PR.

Bom rendimento e comercialização da carne.

Exemplo: um animal PO, macho, castrado de 30 meses com 750 kg de peso vivo chegam a render 57% do peso na carcaça. Produz 250 kg de carne desossada prontas para consumo. O valor médio por kg da carne comercializada atinge R$ 50,00 obtendo um faturamento de até R$12.500,00 por animal.

Na classificação e tipificação de carcaças Wagyu em frigoríficos do Japão são utilizados um equipamento chamado Mirror Type Câmera que é um método de análise computadorizada e que serve para padronizar, qualificar e quantificar a análise de maneira mais objetiva, agregando maiores valores às carcaças de qualidade.

Fonte: Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos da Raça Wagyu – ABCBRW

Oferecimento: Procreare Gestão de Rebanho.